Letöltés

Szintemelkedés

723 m

Nehézségi szint

Mérsékelt

lefelé

723 m

Max elevation

936 m

Trailrank

51

Min elevation

365 m

Trail type

Loop

Idõ

4 óra 59 perc

Koordináták

1314

Uploaded

2021. június 29.

Recorded

június 2021
Be the first to clap
Share
-
-
936 m
365 m
11,47 km

Megtekintve 92 alkalommal, letöltve 7 alkalommal

közel Geres, Braga (Portugal)

O percurso aqui partilhado pode conter erros de GPS ou eventualmente passar por propriedades privadas, ou mesmo através de corta mato e ter passagens por locais que podem ser perigosos para os menos experientes. A descrição do percurso é efetuada à data da sua realização, pelo que se deve ter em atenção que as condições do trilho podem facilmente vir a alterar-se, quer pelas condições meteorológicas, quer por mudança da vegetação, quer por outros fatores inimputáveis à minha vontade. O grau de dificuldade e as condições técnicas atribuídas é baseado na minha experiência pessoal e apenas serve de referência, pelo que não me responsabilizo por qualquer acidente que possa ocorrer por influência ou utilização do percurso aqui disponibilizado.


BOSQUETE DE TEIXO

- O Trilho dos Currais percorre uma fantástica área de beleza natural da Peneda-Gerês. Com uma extensão de cerca de dez quilómetros, desenvolve-se ao longo de quatro currais do Baldio de Vilar da Veiga: o Curral do Gaio (transformado em parque de merendas), o Curral da Espinheira, o Curral da Carvalha das Éguas e o Curral da Lomba do Vidoeiro;
- Trilho circular, com início e fim no Centro de Educação Ambiental do Vidoeiro (opcional), com marcações ao longo de todo o percurso, assim como alguma sinalização pastoril tradicional de montanha, as mariolas;
- Decorre pelas encostas da Serra da Peneda-Gerês, ligando a Vila do Gerês ao Miradouro da Pedra Bela pelos currais e abrigos do Baldio de Vilar da Veiga;
- Ao longo deste trilho existem vários pontos de referência que merecem toda a atenção: a vila termal do Gerês (onde nos cruzamos com mais turistas do que habitantes), os caminhos de pé posto que serpenteiam a serra em direção ao miradouro da Pedra Bela (magnifico), os vários currais e abrigos que se atravessa, os ribeiros e as corgas, nomeadamente a cascata do Vidoeiro, os bosquetes de Teixo e os bosques de coníferas e de folhosas e as excecionais vistas panorâmicas que este maciço montanhoso proporciona, com destaque para os diversos picos montanhosos que se vão vislumbrando na paisagem;
- O desvio à cascata do Vidoeiro justifica-se pela beleza da mesma. Embora não seja tão exuberante quanto outras suas congéneres nas proximidades (Arado, Fecha de Barjas, etc...), a cascata do Vidoeiro surpreende pela sua simplicidade e comprimento, em socalcos, terminando numa pequena e discreta lagoa. Em épocas de maior caudal de água, aí sim, torna-se imponente. De qualquer das formas, a sua visita justifica o pequeno desvio linear que se faz;
- Misto de caminhos de terra, trilhos de pé posto e alguns (curtos) troços de piso alcatroado;
- Trilho com características moderadas, não pela distância, mas essencialmente pelos declives acentuados no acesso à Pedra Bela e retorno do Curral do Vidoeiro;
- A serra da Peneda-Gerês proporciona vistas panorâmicas deslumbrantes. Nos pontos de maior altitude, as vistas sobre o vale do Rio Gerês e sobre a Barragem da Caniçada revelam toda a sua monumentalidade. Nas cotas mais baixas, atravessar os diferentes bosques é uma experiência de uma beleza arrebatadora;
- Os três currais (ativos) a que este percurso nos conduz, assim como os respetivos abrigos, são ainda exemplos vivos de tradições e costumes serranos, onde a pastorícia determina o tempo e os hábitos coletivos;
- Este trilho é um percurso com alguma exigência física, pois alguns troços apresentam uma inclinação bastante acentuada (quer ascendente, quer descendente). Se chover, com vento e neblina, as dificuldades serão muito acrescidas, pelo que desaconselho percorre-lo. Botas e bastões são essenciais;
- No seu todo, é um percurso paisagisticamente deslumbrante, com pontos de interesse que resultam numa excelente oportunidade para contactar mais diretamente com esta belíssima região, repleta de história ancestral, numa área de alto valor natural e etnográfico, que permitirá ao caminhante visualizar e sentir o ecossistema de montanha.
Um trilho clássico do PNPG, curto mas belíssimo! Aconselho vivamente .


BOSQUE JUNTO À PEDRA BELA (pormenor do percurso)

Outros percursos realizados nesta zona:
PNPG - Trilho do Vidoeiro ao Vale da Teixeira
PNPG - Trilho a Pé de Cabril
PNPG - Da vila do Gerês às Silhas do Corro do Velho


CAMINHO PELA ENCOSTA DA VILA DO GERÊS (pormenor do percurso)

- PR3 TBR - TRILHO DOS CURRAIS
O Trilho dos Currais percorre três currais: o Curral da Espinheira, o Curral da Carvalha das Éguas e o Curral da Lomba do Vidoeiro, numa área de singular beleza natural da Serra do Gerês.
Inserido no âmbito Cultural e Paisagístico, o Trilho dos Currais proporciona um contacto direto com o espírito e tradições comunitárias locais, a partir da organização silvo-pastoril na forma de vezeira. Esta prática comunitária, peculiar da Serra do Gerês, decorre de maio a setembro, sendo o gado bovino da comunidade encaminhado pelos caminhos carreteiros até à serra alta, onde se situam os currais. Os vezeiros – proprietários do gado – acompanham durante dias ou semanas o gado consoante o número de cabeças que possuem, transportando os utensílios para a alimentação e estadia nas cabanas dos currais.
A manutenção destas estruturas comunitárias é assegurada anualmente. Todos os anos, previamente à subida do gado para a serra, no dia dos cubais, os proprietários limpam os caminhos carreteiros, arranjam as cabanas e as fontes.
- Âmbito do percurso: Paisagístico e Ecológico
- Localização do percurso: Freguesia de Vilar da Veiga
- Ponto de partida / chegada: Parque de Campismo do Vidoeiro
- Duração do percurso: 04h00
- Distância percorrida: 10 km
- Grau de dificuldade: Média
- Cota máxima atingida: 935 m
- Cota mínima atingida: 358 m


ACESSO AO MIRADOURO DA PEDRA BELA (pormenor do percurso)

- PARQUE NACIONAL DA PENEDA-GERÊS
O Parque Nacional da Peneda-Gerês, com 69.594,48 ha, estende-se dos planaltos da Mourela ao de Castro Laboreiro incluindo as serras da Peneda, Soajo, Amarela e Gerês. Trata-se duma região montanhosa, essencialmente granítica em cujas zonas de elevada altitude são visíveis os efeitos da última glaciação. Vales profundos e encaixados suportam uma densa rede hidrográfica que possibilita uma grande variedade de formas de vida e de vivências.
Notável diversidade botânica - bosques, matos, vegetação ripícola e turfeiras para além de matos húmidos - destacando-se a presença de várias espécies raras e endémicas. Alberga alguns dos mais importantes carvalhais de Portugal. Interessantes habitat seminaturais. Diversidade de espécies faunísticas com estatutos diferenciados: endémicas (salamandra-lusitânica); ameaçadas (lobo-ibérico); de distribuição limitada (cartaxo-nortenho)... No mosaico agrícola destacam-se os prados de lima e lameiros.
Este, que é o único parque nacional em Portugal, possui ainda um rico património histórico-cultural que inclui necrópoles megalíticas, vestígios da romanização, castelos, espigueiros tradicionais com maçarocas de milho, velhos fornos, moinhos de água, levadas, socalcos, brandas (onde as populações passavam o verão), inverneiras (onde aguentavam o rude inverno), termas, tradições peculiares… A tudo isto acresce a curiosa implantação das aldeias serranas e a presença de núcleos de arquitetura tradicional bem preservados.


BOSQUETE DE TEIXO

- VILA DO GERÊS
Na parte sudoeste do parque Peneda-Gerês encontra-se a Vila do Gerês que muito recentemente viu o seu nome ser alterado pelo que teve a sua origem, as Termas do Gerês. Uma localidade serrana com a maior densidade humana, ultrapassada apenas pela vila sede do concelho, Terras do Bouro. Uma pequena terra que proporciona aos visitantes todas as condições de bem estar, de um entusiasmo e excitação das grandes aventuras que a serra oferece.
Uma vila de poucos habitantes que são ultrapassados nas épocas mais propícias pelos visitantes, é apenas atravessada por uma rua, com vários edifícios, todos eles ligados ao turismo, de alojamentos locais a hotéis, restaurantes, comércio. As denominadas Termas do Gerês iniciaram o processo de desenvolvimento do local, dando lugar aos poucos e poucos, através dos anos, ao espaço do turismo natural.
Na verdade e, apesar de ser sempre conhecida como Termas do Gerês, atualmente acaba por ser tornar num ponto de referência e de partida para a exploração da serra. Não sendo possuídora de um espólio arquitetónico, a vila é no entanto conhecida basicamente pela sua natureza e pelo que dela pode usufruir:
- Uma paisagem de vales a serem distinguidos pela diferenciação de cores, mediante as culturas ao longo do ano, as encostas de matos e bouças assegurando a lenha e pastos, sendo nas zonas mais altas as extensões de clareiras destinadas ao pastorio. No meio de uma paisagem inconfundível a contribuição de focos habitacionais perpetuados em áreas que permitem uma boa exposição solar e próximos de linhas de água.
- Uma flora baseada nos carvalhais, formações arbustivas, lameiras e vegetação ripícola e uma fauna cheia de variadíssimas espécimes animais como águias, garranos, borboletas, e ainda a truta do rio, enguia, toupeira de água, lontra, lagarto da água, peixes abundantes nos únicos dois rios Cávado e Homem que por esta serra abundam. Encontramos em pontos diferentes da serra lagoas e cascatas, e muito mais.
- Variadíssimos percursos de maiores ou menores distâncias, feitos a pé, a cavalo ou até mesmo de BTT.
- Um património cultural que se alia ao natural através de muros, levadas, calçadas, pontões, espigueiros, fojos, moínhos, vestígios megalíticos, identificando um pouco as diversas civilizações que por aqui passaram como os célticos e os romanos.


BOSQUETE DE TEIXO (pormenor do percurso)
Picnic

Casa do Guarda / Parque de Merendas do Vidoeiro

Panoráma

Panorâmica Vila do Gerês

Kút

Fonte do Curral do Gaio (Parque de Merendas)

Fa

Bosquete de Teixo

É nas serras da Estrela e do Gerês que sobrevivem os últimos teixos de Portugal continental, as mais antigas árvores nativas da Europa. Os incêndios florestais são uma das maiores ameaças ao teixo (Taxus baccata), árvore que pode viver mais de 2.000 anos e que já foi abundante em Portugal. Hoje sobrevive na serra do Gerês e na serra da Estrela. Na Madeira e Açores há pouquíssimos exemplares. A maior parte dos teixos que ocorrem espontaneamente em Portugal estão no Gerês. Estas árvores crescem junto a linhas de água, em vales encaixados. Precisam de sombra e de humidade no solo.
Panoráma

Miradouro Velho da Pedra Bela

Espelho da beleza fantástica do Parque Parque Nacional da Peneda-Gerês, o Miradouro da Pedra Bela, em Terras de Bouro, está situado a cerca de 800 metros de altitude. Este é um dos locais mais famosos do Gerês, e uma vez avistando a paisagem, percebe-se instintivamente o porquê. Montanhas, a albufeira da Caniçada, os rios que serpenteiam a serra, a confluência do Rio Cávado com o rio Caldo, a vegetação própria desta serra, ou a estonteante Portela do Homem… A Pedra Bela desde sempre encantou, dizendo os antigos que foi a mão divina que aqui a colocou, como que uma peça num presépio, perfeita e imponente.
Kút

Fonte / Parque de Merendas da Pedra Bela

Panoráma

Miradouro Novo da Pedra Bela

Waypoint

Posto de Vigia da Pedra Bela

Waypoint

Curral da Espinheira

Panoráma

Miradouro natural

Waypoint

Curral da Carvalha das Éguas

Waypoint

Curral e Abrigos da Lomba do Vidoeiro

Fa

Bosquete de Teixo

Folyó

Linha de água

Vízesés

Queda de água do Vidoeiro (ribeira)

Kút

Fonte do Javali / Parque de Merendas

A fonte principal encontra-se do outro lado da estrada. Esta, embora fazendo parte do mesmo conjunto, é secundária.

Hozzászólások

    You can or this trail